1 de setembro de 2006

Heavy Metal


Realizado em 1981, não foi por acaso que este desenho virou cult. Baseado no famoso gibi franco-americano, o longa-metragem contou com a participação de gente de talento como Ivan Reitman (produtor), John Candy (dublador) e Dan O’ Bannon (co-roteirista). A trama, na qual uma esfera malvada que veio do espaço repleta de más intenções assusta uma garotinha com estórias pervertidas, é o que menos importa, o que vale aqui é a mensagem pra lá de politicamente incorreta e o estilo ímpar dos desenhos. Uma delícia visual - pós-psicodélico na medida certa, meio louco, colorido, mas com um pé forte na razão. Com exceção de algumas passagens, o devaneio sempre serve ao enredo e não o contrário.

A premissa é maluca sim e as estórias são meio ilógicas, mas tudo se encaixa nesta viagem oitentista sobre um futuro retrô (como Nova Iorque ainda ostentando o WTC) e universos paralelos oníricos. Muito sexo, violência e imoralidades concebidas bem antes da obviedade dos desenhos da MTV. Programa de qualidade!

Ponto Alto: Os desenhos das mulheres nuas são fabulosos.

Ponto Baixo: Tudo bem que o roteiro não faça sentido, mas a intenção mal resolvida da esfera maligna passa dos limites. Ela conta histórias em que sai derrotada, além de dar a deixa para sua adversária.

2 Comments:

Blogger Tiago said...

E aí, Junior. Parabéns pelo blog, tá bem legal. Li vários dos textos e, sem dúvida, o mais engraçado é o de "Brasília 18%". Tudo bem que o filme é uma bosta, mas tirou teu sono, hem. Falou!

12:07 AM  
Blogger Juarez Junior said...

Valeu Tiagão. Seja bem-vindo! Sobre o Brasília 18%, escrevi assim que tinha acabado de ver. Realmente peguei pesado, mas sinceramente não gostei nada do filme!
Abraço!!!

1:07 PM  

Postar um comentário

<< Home